10 Bandas que começaram nos anos 70 e (infelizmente) não fizeram muito sucesso

Não seja hipster, nem mainstream, siga o seu ouvido. Se você gosta bastante de alguma coisa, porque não dissecá-la até o máximo? O mesmo acontece com a música e uma ajudinha sempre cai bem!

Neste post, colocaremos uma relação de bandas muitos boas (algumas sensacionais!) que começaram nos anos 70 e que infelizmente não fizeram muito sucesso, não tendo muitos hits nas paradas e algumas fazendo apenas um ou dois álbuns, permanecendo obscuras nessa década; porém algumas são citadas como influências de outros artistas mais conhecidos. Algumas, como Atomic Rooster e Budgie por exemplo são um pouco mais conhecidas, porém muito pouco do que deveriam e no Brasil então nem se fala.

Confira abaixo as bandas que selecionamos, e caso tenha alguma que não esteja na lista, nos diga via comentário.

Head Machine 

A banda britânica Head Machine teve apenas um ano de existência (começou em 1969, e se separou em 1970), mas teve tempo de gravar um dos mais fenomenais discos de Hard Rock dos anos 70. O disco “Orgasm” de 1969 vale a pena ser escutado com o volume no máximo! A banda contava com nada mais nada menos que “Ken Hensley” do Uriah Heep (Em dezembro de 1969, Hensley se juntou ao quarteto Spice, que com sua entrada mudou o nome para Uriah Heep.) e “Lee Kerslake”, ex Uriah Heep e Ozzy Osbourne.

Atomic Rooster

Formado em 1969 pelo tecladista Vincent Crane e pelo baterista Carl Palmer, o Atomic Rooster foi um dos grupos pioneiros no que ficou conhecido como Progressive Hard Rock. Crane e Palmer moldaram uma sonoridade que unia a técnica privilegiada de ambos a uma dose generosa de peso, que resultou em uma das bandas mais originais do início dos anos 1970.

Após gravar seu primeiro disco, batizado simplesmente como “Atomic Rooster”, o grupo perdeu Carl Palmer, que uniu-se a Keith Emerson e Greg Lake para dar à luz ao Emerson, Lake & Palmer. Com um novo line-up, que agora tinha o ex-Andromeda John Du Cann cuidando dos vocais e guitarras e Paul Hammond na bateria, a banda gravou um dos álbuns mais sombrios daquela época, “Death Walks Behind You”.

Granicus

Com os vocais imponentes de “Woody Leffel” e os excelentes riffs de guitarra de ‘Wayne Anderson”, a banda fundada em 1970 em Cleveland chegou a fazer algum sucesso, principalmente em 1973, quando assinou com a gravadora RCA e chegou a abrir alguns shows importantes de artistas como Bob Seger, Cactus e Spirit para promover o primeiro disco, que desde então tem sido aclamado pela crítica em alguns círculos do rock clássico. Logo depois, porém, o grupo se desfez, sentindo-se sem apoio de sua gravadora e sendo abandonado por seu gerente.

O disco “Granicus” de 1973 vale a audição!

Ram Jam

A banda de Southern Rock Ram Jam foi fundada em 1977 e  consistia em Bill Bartlett (guitarra), Howie Arthur Blauvelt (baixo), Pete Charles (bateria) e Myke Scavone (vocal). A banda é predominantemente conhecida pelo seu maior hit “Black Betty” (que muita gente inclusive acredita ser do Lynyrd Skynyrd). Apesar do hit de sucesso, a musica causou bastante polemica, já que dois grupos de direitos civis, o NAACP e o CORE, pediram um boicote à música, alegando que ela insultava as mulheres negras. Apesar da controvérsia, ele ainda alcançou o número 18 na parada pop da Billboard em setembro de 1977.

Com riffs rápidos e um vocal bastante animado, vale a pena a audição do único disco lançado por eles, o homonimo “Ram Jam” de 1977.

Budgie

O Budgie é um power-trio formado em 1968 em Cardiff por Burke Shelley (baixo, vocais), Tony Bourge (guitarra) e Ray Phillips (bateria). Seu primeiro álbum foi gravado em Rockfield Studios com o produtor do Black Sabbath, Rodger Bain e lançado em 1971 seguido por “Squawk” em 1972. Em 1973 o Budgie gravou a sua obra-prima, o disco ‘Never Turn Your Back on a Friend’ que inseriu a banda de uma vez por todas na história do Rock and Roll. O maior sucesso do álbum , a musica”Breadfan”, foi mais tarde regravada pelo Metallica.

A banda resistiu com sucesso à New Wave of British Heavy Metal (NWOBHM) até 1982, sendo até mesmo a atração principal dos Festivais de Reading e Leeds. Eles chegaram a ter um grande número de fãs na Polônia, chegando a ser a primeira banda de heavy metal a se apresentar atrás da Cortina de Ferro em 1982. Teve também destaque a sua excursão com o apoio de Ozzy Osbourne em 1984.

Aumente o volume e curta na íntegra o album “Never Turn your Back on a Friend”

Dust

O Dust foi uma grande banda americana da década de 70. E ficou mais conhecida aqui no Brasil como a ex-banda do baterista do Ramones, Marky Ramone. O grupo teve uma carreira discográfica curta, mas marcante. Tanto que primeiro disco ainda é bastante procurado.

Nos anos 70, o cenário do heavy metal era dominado quase que exclusivamente pelas bandas britânicas como Led Zeppelin, Black Sabbath, Deep Purple, Uriah Heep e Budgie. O Dust era praticamente um oásis no deserto. O grupo foi formado no ano de 1968, com o guitarrista e vocalista Richie Wise, o baixista Kenny Aaronson e o baterista Marc Bell. Ainda contavam com Kenny Kerner como letrista, empresário e produtor da banda. Eles lançaram o primeiro disco em 1971, auto-intitulado, pelo selo Kama Sutra. Em 1972 lançam Hard Attack. Infelizmente, eles gravariam apenas esse dois discos. Aaronson entrou para os Stories em 1973, e Wise e Kerner se tornaram produtores (eles também trabalharam com o Stories). Marc Bell foi parar na cena punk de Nova Iorque, tocando no Richard Hell & The Voidoids, e mais tarde tocando no Ramones, sob o nome de Marky Ramone.

 

Lucifer’s Friend

Os alemães do Lucifer’s Friend (e acredite, eles disseram que nunca tiveram problemas com esse nome) figuram em qualquer lista das bandas que não tiveram o sucesso que mereciam! . A banda contava com os vocais de “John Lawton” (que pouco tempo depois substituiu David Byron no Uriah Heep),  “Peter Hecht”, “Dieter Horns”, “Peter Hesslein” e “Joachim Reitenbach”.

A banda alterava seu estilo musical e influências em cada álbum. O álbum homônimo de estréia, lançado em 1970, possuia letras obscuras, guitarra pesada e um estilo de órgão influenciado por Led Zeppelin e Black Sabbath. É considerado por muitos fãs como um dos inícios do heavy metal, ao lado do álbum “Paranoid’ da banda também britânica Black Sabbath. O segundo álbum, “Where the Groupies Killed the Blues”, tomou um caminho totalmente diferente, sendo mais experimental no rock progressivo e rock psicodélico, composto em sua maioria por John O’Brien Docker.

Leaf Hound

O Leaf Hound é uma banda inglesa de hard rock dos anos 1960/70 . O grupo foi citado como uma grande influência no movimento “Stoner Rock”

A banda foi formada a partir do fim do Black Cat Bones, grupo de Blues Rock. O guitarrista Paul Kossof e o baterista Simon Kirke deixaram a banda para formar o Free. Pouco tempo depois o guitarrista Rod Price deixa também a banda para integrar o Foghat, sobrando assim os irmãos Derek Brookes, guitarrista e Stuart Brooks, baixista. Convidaram então o vocalista Peter French, que depois viria a integrar o Cactus e o Atomic Rooster, o guitarrista Mick Hails e o baterista Keith Young. Estava formado o Leaf Hound, e o Blues Rock do Black Cat Bones foi deixado de lado pra fazer o bom e velho Hard Setentista. 

Vale a audição no maior sucesso da banda, o album “Growers of Mushroom’ de 1971

Trapeze

Uma das bandas mais faladas e menos conhecidas dentro do mundo do rock é o Trapeze. 99% das revistas e sites especializados definem a banda como sendo “o power trio de onde saíram Glenn Hughes, Mel Galley e Dave Holland” (que tornariam-se famosos posteriormente com Deep Purple, Whitesnake e Judas Priest, respectivamente). Porém, na sua carreira de 13 anos, o Trapeze lançou seis álbuns de estúdio e três ao vivo, sendo que destes, apenas dois foram com a formação citada acima. 

Surgido em 1969 em Wolverhampton na Inglaterra, a banda virou um power trio em 1970, o qual neste mesmo ano gravaram o super clássico da banda, o álbum “Medusa”. Produzido por John Lodge, o disco apresenta um hard rock coeso e afiado, com passagens instrumentais requintadas e de muito bom gosto, adornadas pela voz singular de Glenn Hughes, um dos maiores vocalistas da história do hard rock.

 

Elf

O ELF foi uma banda de rock fundada em 1967 pelo cantor e baixista Ronnie James Dio, o tecladista Doug Thaler , baterista Gary Driscoll, e os guitarristas Nick Pantas e David Feinstein (primo de Dio). A banda foi originalmente chamada The Electric Elves, mas foi encurtado para The Elves em 1968 e, finalmente, Elf em 1972. Elf se separou em 1975, após gravar três álbuns e depois a maior parte do lineup tinha sido absorvido novo grupo de Ritchie Blackmore, Rainbow.

Aos desavisados, não espere aqui um álbum de Metal tradicional com as vocalizações em agudos altos e berros magistrais do baixinho, leve em consideração que esse era o início e Dio está em plena forma, mas mais cometido em sua vocalização, deixando claro que tudo é muito bem feito e sua performance é incrível do início ao fim.

Vale a audição do àlbum “Carolina County Ball” de 1974, que é o album definitivo do Elf

E aí, o que achou de nossa pequena lista (logicamente tem muito, mas muito mesmo, coisas boas nos anos 70). Se você acha que faltou alguma coisa, não esqueça de deixar o seu comentário..

3 thoughts on “10 Bandas que começaram nos anos 70 e (infelizmente) não fizeram muito sucesso

  1. Flavio says:

    Certamente Lucifer´s Friend é um nome que deve figurar em qualquer lista de bandas que não chegaram a uma grande repercussão (em comparação a outras da mesma época).
    Não sendo o chato que diz “Ah, mas faltou tal e tal banda”, mas sim para colocar algumas outras sugestões: DOM (do único álbum Edge of Time), Island (que possui 2 albuns, salvo engano: Pictures e outro), Soft Machine e Hands.
    Selecionar alguma dessas e deixar o Youtube levar pelos sons relacionados é uma excelente pedida! Poucas serão as bandas desconhecidas ruins ou médias que aparecerão!

    • Alta Voltagem Rockwear says:

      Soft Machine é bom demais e realmente não fizeram muito sucesso (pena). Realmente, tem MUITA coisa boa na era de ouro do Rock and Roll!! Obrigado pelas sugestões Flávio

  2. Henrique Soares says:

    Muito bom esta oportunidade de conhecer novas possibilidades deste período, 60/70 que considero como um tempo de produções maravilhosas. Inclusive, também valendo para a musica brasileira, no sentido bem amplo desta.
    Gostei de encontrar a galera do Atomic Rooster e incluiria o maravilhoso Caravan.
    beijos
    Henrique Soares ou Rick Rock (na juventude)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *